Não julgue o que está escrito aqui por "Bom" ou "Ruim"...
Não são só palavras... São sentimentos!

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Só ela...



De repente, você percebe que nada mais importa a não ser a felicidade Dela, o bem estar Dela.
Tem vontade de coloca-la dentro de uma redoma de vidro, para que ninguém possa magoa-la..
É meio frustante, estar fazendo exatamente tudo o que já critiquei ou zuei nos outros...
Mas, a unica coisa que sei é que quero cuidar Dela, protege-la, pegar no colo e não deixar que nada mais a atinja!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Ela brilhou mais forte...

“As estrelas são tão iluminadas… Não será para que cada um de nós possa, um dia, encontrar a sua?”
(O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry)

Dentre centenas de milhões de estrelas, Ela foi a que brilhou mais forte!
Bastou um sorriso, aquele sorriso que é tão meu, um simples olhar através de uma webcan, e foi como se algo estala-se dentro de mim. Bastou uma fração de segundos para que eu tivesse certeza que era Ela, a tão sonhada, e aguardada, pessoa que mudaria minha vida... Ela é a responsável por esse irritante sorriso na minha cara, Ela é a responsável por todas as zoações que estou tendo que aguentar dos meus amigos,  Ela é a responsável por salvar meu coração da Era do Gelo, aquele "meu sorriso" derreteu todo o gelo, todas as dores, todas as tristezas, todos os medos... Chegou como um raio iluminando a escuridão da minha vida, trazendo a esquecida esperança de volta, esperança de que coisas boas podem acontecer. Costumo dizer que a sorte me escolheu quando eu a conheci... Alguém lá em cima olhou pra mim e disse: Sua chance de ser feliz... 
Quando Ela me olha, a maneira como me olha, é como se estivesse olhando minha alma, meu ser mais secreto, mais sensível... 
E de uma maneira muito sutil, sem que eu nem desconfiasse Ela roubou meu pobre coração podre... e prometeu cuidar de todas as feridas dele, prometeu cuidar dele... e eu deixei que Ela levasse... por mais que a principio não acreditasse... o milagre aconteceu e Ela me salvou da tristeza, da dor, do medo... Ela me salvou!
É difícil explicar o que eu sinto por ela, a cada vez que eu digo Eu Te Amo, eu a estou amando mais, e por mais que eu diga e repita isso centenas de vezes por dia, a cada vez, o que eu sinto é maior... cada pequeno detalhe que conheço dela, me faz ama-la mais, admira-la mais...
Só peço uma coisa: Por favor não me acordem desse sonho perfeito, não me tirem dessa felicidade plena, não quero voltar pro pesadelo da vida real!

Abraços de uma Akii apaixonada!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Homossexualidade não é natural??

Meu Brejo Amado, trago para vocês um vídeo BÁRBARO, é compridinho, mas vale muito a pena.



Uma salva de palmas pra esse cidadão, você tem meu respeito!

Akii..

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Expulsa do armário...

Amores desculpe o sumiço, mas ando tão sem tempo, faz uma semana que estou pra postar isso, mas cade 5 minutinhos pra escrever?


Então...
A exatamente uma semana fui expulsa do armário publicamente.
Não que eu ainda estivesse dentro dele, é mais aquela coisa: sou lésbica e ninguém tem nada a ver com isso, sei o mundo em que vivo e não vou escrever na testa "I am gay".
Quarta passada 30/11, fui com a mãe fazer as unhas, e começaram a me encher o saco dizendo que tinha que pintar as unhas, cores escuras, fortes, coisa de menina.. e eu dizendo que não, que no maximo uma base e tals, ai:
Manicure: menina assim vc nunca vai arrumar um homem, eles gostam de mulheres que se arrumam!
Akii: E quem disse que estou procurando homem, ou me importando com o que eles pensam ou gostam??
Manicure: Capais, vc é tão bonita, tem que parar de se esconder, se arrumar, vai encontrar um cara bacana!
Akii: Mas eu não quero encontrar.
Manicure: Por que? Todo mundo quer!
Akii ¬¬: Por que não tenho tempo pra isso, trabalho, estudo, tenho amigos, vou querer um homem pra que?


Ficaram me enchendo mais um pouco até que uma moça que estava pintando o cabelo fala:
Moça: Prefere os loiros ou morenos?
Olhei pra minha mãe com aquela cara de "de novo não", e antes que pudesse responder ela disse:
Mãe: Gente vcs estão fazendo a pergunta errada, se perguntassem se ela gosta de loirAs ou morenAs, era mais fácil dela responder!
Todo mundo com aquela cara de caneca!
Mãe: Credo gente, não estamos no século 18, a pergunta correta é loirAs ou morenAs, mesmo!
Depois que a fixa caiu a cabeleireira (loira) diz brincando: olha, não chega perto de mim não, que minha fruta é outra!
Mãe: não se preocupe, ela gosta de morena, pelo menos a namorada dela é morena!


Gente, choquei... parem o mundo que quero descer!!!!
Nunca imaginei que um dia iria ouvir minha mãe dizer: a namorada dela!
Já fazem 2 anos que ela sabe sobre minha opção sexual, e NUNCA demostrou qualquer interesse, curiosidade ou simpatia por isso.

Fui expulsa publicamente do armário, no ninho das fofocas!


Meu ultimo namoro, durou 7 meses e ela nunca disse nada, nada de nada mesmo! Como eu disse, nenhum interesse ou curiosidade... NADA!
Mas a Jandy é diferente, em duas semanas já conquistou a família toda... neste sábado ela vem pra cá, conhecer a família, dá pra acreditar que minha mãe liberou na boa minha namorada passar o dia aqui em casa?
Estamos todos com os dedos cruzados pra que dê tudo certo!
E vai dar!


Um beijo de uma Akii sem armário!

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Ela é amor...

Eu tenho sido quebrado, eu tenho sido chutado
Mas ela tirou tudo isso de mim
E eu perdi minha fé, nos meus dias sombrios
Mas ela me fez querer acreditar.

Eles a chamam de amor, amor, amor, amor, amor.
Eles a chamam de amor, amor, amor, amor, amor.
Ela é amor, e ela é tudo que eu preciso.

Ela é tudo o que eu preciso.

Bem, eu tive meus caminhos, todos foram em vão,
Mas ela esperou pacientemente.
Isso foi sempre o mesmo, todo meu orgulho e minha vergonha
E ela colocou meus pés no chão

Eles a chamam de amor, amor, amor, amor, amor.
Eles a chamam de amor, amor, amor, amor, amor.
Eles a chamam de amor, amor, amor, amor, amor.
Ela é amor, e ela é tudo que eu preciso.

E quando essas palavras calarem, querida
E quando todas essas estrelas sumirem, daqui
Oh, ela vai estar aqui, sim ela vai estar aqui!
Eles a chamam de amor, amor, amor, amor, amor.
Eles a chamam de amor, amor, amor, amor, amor.
Eles a chamam de amor, amor, amor, amor, amor.

Ela é amor, e ela é tudo que eu preciso.
Ela é amor, e ela é tudo que eu preciso.
Ela é amor, e ela é tudo que eu preciso.

(She is love - Parachute)

Uma semana de namoro, que seja a primeira de muito anos...
Beijos de uma apaixonada
Akii


quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Medos....

Você tem medo de altura? Uma vez me disseram que quanto maior a altura, maior a queda. Você sabe, essa coisa toda de estar apaixonado, ou sonhar com algo mais do que qualquer coisa, e aí você se sente nas nuvens, sobrevoando uma cidade e vendo tudo de cima. A esperança faz isso com você. Te faz voar, ma se você está voando significa que um dia você vai cair... A questão não é o simples ato de cair, mas... Você tem medo de altura? Que dizer, todos nós caímos uma vez na vida. Uma, duas, três, quatro, dezenas, centenas de vezes. Cair faz parte da vida, cair consiste em aprender com seus erros. Mas o maior problema não é cair e sim como você reage à isso. Algumas pessoas caem, choram, mas levantam quase que imediatamente, prontas pra sonhar de novo. Outras entram em depressão. Passam horas chorando, se fecham para o mundo, não querem mais saber de nada e desistem de viver, Porque quando você cai dói, machuca, arranha, sangra. Mas fazer o quê? É a vida! E a única saída é levantar (...) e tentar voar de novo. Por mais que o baque machuque, todos nós temos que admitir que não há nada melhor que a sensação de estar flutuando, sentir-se leve, feliz. Mesmo que por pouco tempo. Mas muitos deixam de sonhar, se apaixonar e voar porque sentem medo de cair. Quer um conselho? Voe! Voe o mais alto que puder. Voa até que você tenha a certeza que não dá pra voar mais alto. Voe o bastante pra, quando você cair, machucar. E vai machucar, vai doer, você vai chorar, mas vai passar. E aí você vai poder dizer, com um sorriso de vitória no rosto, que fez o que pôde, o que esteve ao seu alcance, e que não conseguiria fazer melhor. E voe novamente. A cada vez que você voa, você aprende algo novo. (...) A força do vento, a intensidade da queda, a sensação de liberdade, o caminho certo entre as nuvens, um jeito pra cair mais suavemente sem se machucar tanto; Não importa. Você nunca cai apenas por cair. Cai pra tirar alguma lição disso. E quando você cai, você pega mais impulso pra voar mais alto da próxima vez. Mas nunca se esqueça que você ainda corre o risco de cair novamente. É sempre assim. Mas quer saber? Pense assim: Eu fiz. Pense que fez o que tinha que fazer enquanto podia fazer. Não se arrependa das vezes que caiu, mas sim das vezes que deixou de voar por medo de sentir a dor de uma queda... Agora eu te pergunto, você tem medo de altura?
(Melissa Lambrecht)



E depois de tanto tempo, e depois de doer tanto ao ponto de considera-lo morto..
O coração da sinais de voltar a viva...
Volta tímido, medroso, ainda um pouco dolorido, mas volta...
Volta cheio de expectativas, cheio de esperanças...
E disposto a ser novamente preenchido..
(Jukias obrigada pela dica de leitura, ajudou muito)

Beijos.. de uma Akii com medos...

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Muita malandragem

Jandy me matou com essa...
Conversando com uma amiga no msn sobre musicas e violão, lá pelas tantas ela grava um vídeo e me manda o link...



Quase tive um ataque, ela esta cantando minha musica preferida!

Beijinhos
De uma Akii  musical!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Parada do Orgulho GLBT - 13/11/11

Gente, ontem rolou aqui em Curitiba a 7ª Parada GLBT, com o tema: Todos ao redor do mundo.
A Policia Militar estima que cerca de 70 mil pessoas compareceram ao evento.
A festa estava linda,apesar do clima não colaborar muito: musica alta, gente bonita e mulheres gostosas. tem coisa melhor?
E dessa vez eu fui com as'amiga, mamãe não passou nem perto, então eu me acabei... andei pra caralho, pulei, dancei, cantei... cheguei em casa morta.
E o tanto de gente conhecida que eu achei por lá, não foi brincadeira... sem contar outras que eu fui cumprimentar e não me conheceram (né, Guria de Curitiba?)... Blogaysféra curitibana estava nem peso lá!


Fotinho da festa pra vocês verem:










Akemi com a bandeira






Akii e Akemi


Climão curitibano


Voltando pra casa com as'amiga
Nessa ultima foto, tava todo mundo muito cansado, com dor em todos os lugares imagináveis... mas todas mega felizes.
Este foi nosso domigão.
se alguma das gostosas que passam por aqui, também estavam lá, deixem um Oi!
Beijão

Akii

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Quase morri...

Gente do céu, preciso contar, quase tive um ataque do coração.
Cheguei da aula de violão super desanimada, e a primeira coisa que vejo no twitter foi a Linda, gostosa e talentosa Nise Palhares comentando que estava tirando umas musicas no violão, mesmo já sabendo mais de 800 de cabeça...


Ai eu comentei:


E adivinhem... ELA RESPONDEU!




E foi nesse momento que meu coração quase parou!
Tudo bem, sejamos realista ela não se declarou pra mim, nem disse que eu sou a mulher da vida dela... mas eu ganhei 5 segundos de atenção! O que é quase o mesmo!
rsrsrsr




Um enorme beijo
De uma Akii muito feliz!

sábado, 29 de outubro de 2011

Já...


Já escondi um amor com medo de perdê-lo, já perdi um amor por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já chamei pessoas próximas de “amigo” e descobri que não eram…
Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração.
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente.
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesmo, mas com certeza não serei o mesmo pra sempre.
(Autor desconhecido)

Akii

domingo, 23 de outubro de 2011

As vezes...



“Ás vezes é preciso dormir, dormir muito. 
Não pra fugir, mas pra descansar a alma dos sentimentos. 
Quem nasceu com a sensibilidade exacerbada sabe quão difícil é engolir a vida. 
Porque tudo, absolutamente tudo devora a gente.
Inteira.”
(Marla de Queiroz)

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Não sei quantas almas que tenho...

video

Criei esse vídeo em 2009, para uma apresentação sobre o fantástico Fernando Pessoa.
Esse é um dos meus poemas preferidos.


E não sei porque passei o dia todo com ele na cabeça, acho que ando me sentindo assim ultimamente "diverso, móbil e só. Não sei sentir-me onde estou..."
Ando meio afastada de tudo e de todos, falando com muita pouca gente, saindo de casa só para trabalhar, uma necessidade de ficar sozinha, esperando o tal milagre cair do céu.


Espero que curtam o vídeo.
Antes de dar tchau, gostaria de agradecer a galera que sempre comenta aqui, saibam que esse blog só existe graças ao carinho de vocês. Obrigada!


Abraços
Akii

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Não temos mais idade

‎”Porque já não temos mais idade para, dramaticamente, usarmos palavras grandiloqüentes como “sempre” ou “nunca”. Ninguém sabe como, mas aos poucos fomos aprendendo sobre a continuidade da vida, das pessoas e das coisas. Já não tentamos o suicídio nem cometemos gestos tresloucados. Alguns, sim - nós, não. Contidamente, continuamos. E substituimos expressões fatais como “não resistirei” por outras mais mansas, como “sei que vai passar”. Esse o nosso jeito de continuar, o mais eficiente e também o mais cômodo, porque não implica em decisões, apenas em paciência.” Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

E as pessoas não param de nos surpreender...



Sei que falar de preconceito ficou algo tão cansativo que a maioria das pessoas nem presta mais atenção, mas não vou me cansar de reclamar, protestar e exigir respeito. O foda é que o preconceito, as vezes, vem de onde menos esperamos.

Ontem (12/10) feriadão, estávamos eu e minha mãe na sala, ela assistindo Morde e Assopra e eu jogada no sofá lendo um livro no Seth (meu PC). Lá pelas tantas passa na TV uma cena em que o Aureo (personagem gay) iria se casar com uma mulher. Por minha mãe estudar a noite ela não sabia direito o que tava rolando e ao ver a cena solta a seguinte frase: “Ah! Esse virou gente.”
Não acreditei no que ouvi. Virei a cabeça muito lentamente, tentando me controlar para não ofende-la e disse: “Humm! Então, por ele ser gay ele não é gente??” ela me olhou com uma cara de “falei merda” e disse “Não, não foi isso que eu quis dizer...” e tentou se explicar. Voltei a olhar pro Seth e ignorei ela.

Há alguns meses atrás, estávamos eu e meu irmão (15 anos) em casa e ele todo tímido diz: “Mana, você que já foi menina, me diz... o que a menina tá querendo...” Juro que a única coisa que eu ouvi foi “você que já foi menina” só depois entendi que ele queria conselhos pra saber se a tal garota estava afim dele.
Ele contou toda a história e perguntou: “Então, o que acha?”
Akii: “Acho que eu preciso te explicar algumas coisinhas... olha não é porque eu resolvi contar pras pessoas que eu gosto de meninas, que eu sou lésbica... que começou a crescer algo aqui – e apontei pra minha virinha – continuo sendo uma menina! A única mudança é que eu sinto a mesma atração que você por garotas.”
Ele: “É mas você não é mais uma garota normal!” disse isso como se aquilo explicasse tudo.
Respirei fundo, essa seria uma longa conversa: “Mano, por acaso eu tenho um par de braços a mais, um rabo, chifres ou antenas saindo da minha cabeça?!
Ele riu: “Não, mas...”
Akii: “Então, acho que eu sou um ser humano muito normal! Tenho fome, sinto frio, sinto saudade, as vezes preciso de colo... igual a você e a todo mundo. Se eu me cortar vou sangrar, se alguém me bater eu vou devolver o golpe. Todo mundo é assim! Eu, você, homem ou mulher, hétero ou homossexual, todos sentem essas coisas... As pessoas veem os homossexuais de uma maneira muito errada e idiota, não é por que eu gosto de mulher que vou sair por ai pegando todas...”
Ele: “Não???”
Akii: “É claro que não! Pelo amor de Deus! Cara a mesma coisa acontece se você tem um amigo gay, não é porque ele é gay que vai dar em cima de você, as vezes ele só quer ser seu amigo, todo mundo precisa de amigos... Essa menina que você tá gostando, você gosta dela porque ela é bonita, porque ela é legal, porque existem pequenas coisinhas nela que chama a sua atenção. E é assim com todo mundo, a gente não se apaixona por um pênis ou uma vagina e sim por pequenas coisinhas que tornam aquela pessoa especial. Não importa qual o sexo dela, nem a cor, nem a idade, nem a religião, algumas vezes nem o estado civil dela importa, a gente se apaixona e daí está fudido! O ato sexual é uma conseqüência e se você gosta da pessoa o sexo dela não importa. Você não precisa gostar de meninas só porque é um menino... também não to dizendo “vire gay”. Sabe, não importa o que as pessoas dizem ou pensem, o importante é você ser feliz, é buscar uma pessoa que te de alegria, que te de paz, prazes. Que te faça bem... Entendeu?”
Ele assentiu e depois eu disse tudo o que achava sobre a garota que ele tava afim.

Tive a sensação que essa foi a melhor conversa que tivemos, mas também me dei conta que parte desse mal entendido era culpa minha. Eu apenas tinha comunicado a minha família “Sou lésbica!” não houve uma conversa (até porque depois que eu contei minha mãe surtou e a casa caiu), não houve explicações, só soltei a bomba e agüentei as conseqüências sem tentar amenizar os estragos.

Depois dessa conversa com meu irmão notei que ele começou a ver os homossexuais de uma forma diferente, foram pequenas mudanças na maneira que ele falar dos gay e até mesmo de tratar meus amigos.

Acho que o que falta as vezes é uma boa conversa, explicar as coisas. Quando conto para as pessoas minha opção sexual a impressão que tenho é que elas acham que eu sou um monstro que sai por ai atacando pobres mulheres indefesas ou que estou pervertendo elas.

Preciso dizer: NÃO HÁ NADA PERVERSO, ASQUEROSO NEM PROMISCUO NO AMOR!

Tenho muito orgulho de ser quem eu sou e não me arrependo de ter saído do armário, mas as vezes canso. Canso de tanta idiotice, de tanta gente dando pitaco na vida dos outros, de tanta gente ignorante, de tanta maldade, de tanto preconceito.

Preconceito que muitas vezes vem de pura ignorância, ou por medo de aceitar o que não conhece e não entende. Como no caso do meu irmão.

Isso cansa, e me pergunto: se com o passar dos anos e conforme constatarmos que as coisas não vão mudar será que teremos forças para continuarmos lutando? Ou apenas ligaremos o foda-se e seguiremos em frente?

Porque as surpresas indesejadas não vão parar de aparecer!

Akii.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

E então chegou...



Virei pedra e entendi porque a solidão é a experiência mais universal de todas. 
A solidão é muito sacana. 
Num dia, ela te deixa eufórico, pensando nessa liberdade possível de não dever satisfação a ninguém e nessa possibilidade infinita de realizar todas as tuas vontades.
 Mas, no outro dia, a solidão te dá uma rasteira daquelas bem dadas. 
E te faz cair na real. 
Tu estás só feito um cão de rua, meu filho. 
Ninguém te ama, ninguém te quer, ninguém te conhece, ninguém tem acesso à tua alma. 
Tuas neuras são só tuas, e parece que nada nem ninguém preenche esse vazio.
Caio Fernando Abreu




Não sei bem explicar o que estou sentindo.
Depois de um longo tempo me sentindo incrivelmente bem, bem com tudo, com as pessoas ao meu redor, com o meu trabalho, com a minha vida, com o meu corpo, com tudo. Estava numa fase muito "eu me amo"...
De repente deprimi.
Senti uma saudade de algo que não sei o que é, saudade de algo que eu não tenho.
Talvez o nome disso seja carência, mas quando falamos em carência as pessoas levam sempre a um cunho sexual.
Mas não é isso, é carência que abraços, de carinho, de colo, aquela carência de saber e sentir que as pessoas se importam com você.
Estou me sentindo tão sozinha.

Bom, eu já havia previsto que isso iria acontecer... este é um momento perfeito para me mandarem calar a boca.

Abraço
Akii


segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Novas aquisições

Hei meu povo!
Desculpem, sei que prometi o post para sábado, mas eu estava com um puta dor de cabeça, e as tatoos estavam muito vermelhas e a pele bem inchada, então resolvi esperar um pouco.

Aqui estão as fotos:







A coruja ainda não esta pronta, faltam alguns sombreados, e um desenho tribal que vou fazer envolta dela.

Ah, e por ultimo, uma fotinho do Juão

Espero que tenha gostado, por favor comentem, se não gostaram comentem tbm.
Beijão
Akii

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Quarta-feira

Quarta-feira é um dia horrível, já estamos a três dias trabalhando (no meu caso quatro, sim eu trabalho no domingo), e ainda faltam dois, para o amado fim de semana.


Estava planejando fazer um post no sábado, vou fazer minha tão sonhada tatoo e quero mostra-la, mas esta entediante porcaria de quarta-feira, me fez querer animar um pouco as coisas.


Então, espero que curtam... e cuidado para não molhar a calcinha!



Beijão gata, até sábado com novidades!


Akii

terça-feira, 6 de setembro de 2011

E completamos um ano!


Fiquei chocada quando me dei conta de que ontem a Toca completou seu 1º aninho!!!
Viva!!!


Foi engraçado o "como me dei conta". 
Estava eu fuçando na net, e viu em algum lugar que hoje era o dia do sexo 6/9.
E pensei, pérai, uma das minhas primeiras postagens na Toca, era sobre o dia do sexo, do ano passado, ai fui ver minhas antigas postagens e de fato, ontem completamos nosso primeiro aninho.


Gostaria de agradecer a todos os queridos amigos da Toca, que me ajudam, com seus super comentários, a fazer desse modesto blog um lugar tão especial para mim.
Valeu mesmo.


Adoro todos vocês.


Akii

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Coisas a contar...

Tenho tantas coisas pra contar, que nem sei por onde começo.


Minha segunda já começou cheia de pepinos no trabalho, só-me-estressei-hoje. No fim até minha patroa foi fazer um cafézinho pra ver se eu relaxava um pouco, e marcou uma reunião com os motoristas amanhã de manhã. Bom amanhã o caldeirão vai ferver, torçam pra mim não chutar o balde e pedir a conta.


No sábado, comecei minhas aulas de violão, foi um barato, acho que estou apaixonada pelo Juão (o Violão).
Ele é lindo, e eu peguei as notas facinho. Detalhe na conversa que tive com a minha mãe depois da aula:
Mãe: e ai como foi a aula?
Akii-toda-empolgada: Ah, foi um arraso, muito, muito, muito legal.
Mãe: e que é o professor?
Akii: o Willian, aquele alto, loiro dos olhos verdes.
Mãe-com cara de interesse: aquele do cabelo cacheadinho?
Akii: sim! Fiquei tão feliz que era ele.
Mãe: é, ele é bonito mesmo.
Akii fazendo careta: não por isso, é que se fosse uma mulher, a ultima coisa que eu faria era prestar atenção na aula. (já confessei aqui que sou apaixonada por mulheres tocando violão)
Nem ela aguentou e acabou rindo da piadinha-sapa-de-mal-gosto.




Não sei se contei oficialmente, mas eu e a Kaede terminamos, a mais ou menos uma semana e meia, não gostaria de contar os motivos, pois envolvem alguns fatos complicados e eu não gostaria de expor ninguém, acho que meia culpa de cada uma.
Ainda conversamos, ainda contamos algumas coisas uma pra outra.
Ai ontem zanzando pelo blog dela, descobri que já tem um encontro marcado com outra garota.
Deprimi.
Eu aqui, curtindo a fossa, e ela de encontro marcado.
Me lembrei da minha outra ex, que 3 dias depois que terminamos, já estava namorando outra, atualmente esta casada com a garota.
Cheguei a conclusão de que sou Frigideira, a maioria das pessoas é panela, e mais dia, menos dia, encontra sua tampa.
Mas também, o que seria de uma boa cozinha sem a frigideira?


Neste momento, não quero saber de me envolver com ninguém. Não esta valendo a pena, sempre termino do mesmo jeito. 
Gostaria da ajuda de vcs, se eu começar a encher o saco, dizendo que estou só, e que a vida não vale a pena, por favor, me mandem calar a boca! Ok?
Vou me dedicar ao Juão (o Violão), que por sinal tem me ajudado com o cigarro, descobri que manter as mãos e a cabeça ocupados, me fazem fumar menos.


Ah, não contei pra vocês, mas A Toca, também está no Twitter, @AkiinaToca, apareçam.
É isso, espero que a semana de vocês tenha começado melhor que a minha.
E se não começou, espero que melhore.
Beijão!


Akii

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Cançamos



Se me perguntarem como estou, eis a resposta: Estou indo. Sem muita bagagem. Pesos desnecessários causam sempre dores desnecessárias. Esvaziei a mala, olhei no fundo dela, limpei, e estou indo… preenche-la com coisas novas. Sensações novas, situações novas, pessoas novas. Tudo novo.
Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

As vezes é preciso...

As vezes para voltarmos a nos sentir "nós mesmos" é preciso mudar, porque com o tempo mudamos tanto por dentro que passamos a não nos reconhecer mais por fora.

Então mudei!

Cortei o cabelo, renovei todo o meu guarda-roupa, mudei a decoração do quarto, comprei um violão.
Mês que vem faço uma tatoo, que venho prorrogando a quase um ano.

Cheguei a (tardia) conclusão de que só temos essa porcaria de vida (pelo menos que saibamos), não tem o porque fingir ser quem não é, fugir de si mesmo, adiar coisas que gostamos ou queremos, adiar sonhos...

Cheguei a porra dos 20 anos sem ter feito nada do que EU queria.
E cheguei ao ponto de não me reconhecer mais no espelho.

Então o que fazer?

Mudamos!
Nada que nos desagrada deve permanecer perto de nós.

Está sou eu!
Rauana Polli (muito prazer!), lésbica (assumida e muito bem resolvida), geminiana (em todos os pontos, virgulas e defeitos), instável, temperamental, e de mal humor crônico, curitibana, orgulhosa. Apaixonada por musica, vento, tatuagens, cabelos curtos, roupa xadrez, Al Star, perfumes masculinos, mulheres que tocam violão e Nescafé Cremoso.


Gostaram do cabelo?
Assim que sair a tatoo eu posto pra vcs.

Beijão
Akii

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Nada é como queremos...



Pegou minha mão, do jeito certo
Prometeu estar por perto
Me disse coisas sem fim
Acreditei em tudo que falou pra mim
Se alguém me dissesse que daqui a três anos
Você não estaria mais aqui
Eu ficaria irritada
Pois sei que não vai partir
Eu sei disso porque você disse "sempre"
Pra sempre
Lembra como eramos tolas
E achavamos os outros tolos
Gostaria de tocá-la novamente
De chama-la de amiga carinhosamente
Eu faria tudo
Quando alguém disse para aproveitarmos o momento
Antes que ele fosse embora
Queria voltar com o vento
Eu me enganei naquela hora
Eles estavam certos
Mas você disse "sempre"
"Pra sempre"
Quem diria?

O video é meio alto explicativo... 
Sentimentos são a coisa mais imprevisível que existe, eles começam do nada, mudam, aumentam, diminuem, e as vezes são mutáveis.
Ainda a amor, mas de uma forma diferente, a amo com carinho de irmã e respeito de mulher.
Ainda a quero por perto, ainda a quero proteger, ainda a quero feliz.
Mas a quero descobrindo quem ela é, a quero vivendo e descobrindo tudo o que tem direito.
A quero livre.
Acredito que tudo o que nos pertence um dia volta.
Acredito que o destino ainda tem algo planejado.
Que venha! Vou estar aqui.


Akii

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Sinto muito...

“Eu te amo. Mesmo negando. Mesmo deixando você ir. Mesmo não te pedindo pra ficar. Mesmo não olhando mais nos teus olhos. Mesmo não ouvindo a tua voz. Mesmo não fazendo mais parte dos teus dias. Mesmo estando longe, eu te amo. E amo mesmo. Mesmo não sabendo amar.”
Caio Fernando Abreu


 Primeiramente, peço desculpas por andar meio sumida, mas essa semana tem sido difícil.

Domingo foi dia dos pais e eu negligentemente deixei passar em branco.

Mas hoje a coisa esta mais foda que nunca e estou querendo um pouco de colo.

Hoje faz dois meses que meu pai faleceu, e pela primeira vez estou sentindo a falta dele, domingo eu estava lendo um blog Jardins Abandonados em que a autora fala que esse também era o primeiro dia dos pais que ela passava sem o dela. Isso mexeu comigo, chorei muito.

Há dois meses eu venho ignorando a morte dele, fingindo que não era nada. Minha relação com meu pai sempre foi complicada, eu não gostava dele e ele não gostava de mim, passamos os últimos 20 anos nos ignorando mutuamente. Ele passava apenas os fins de semana em casa com a gente e fazia questão de torna-los um inferno. Quando ele ficou doente eu até disse pra Kaede “bem que ele podia morrer.”, dois dias depois ele morreu. No velório que chorei três vezes: quando o vi caixão; quando meu avô de 86 anos chegou chorando desesperado – nunca tinha visto ele chorar, ele já enterrou a primeira esposa, o filho mais velho, dois netos, um bisneto e agora meu pai – foi muito triste de ver a dor dele; e na hora em que ele foi enterrado, e eu estava tentando consolar minha mãe.

Depois disso não chorei mais. E os últimos dois meses, apesar do baixo astral do povo aqui de casa, tem sido realmente bom, sem mais brigas, sem mais enchesão se saco, sem mais pressão psicológica...

Mas essa semana me bateu uma tristeza tão grande, que eu estou fazendo de tudo pra não demonstrar.

O tempo todo me vem lembranças dos poucos e raros momentos em que fui feliz perto dele: de brincar de esconde-esconde; pega-pega (rsrs, quando era a vez dele pegar, a gente saia gritando em volta da casa “o pai é mãe, o pai é mãe, correeee...”, ele sempre se matava de rir); depois cresci e isso ficou cada vez mais raro, as vezes quando eu e meu irmão estávamos jogando bola, ele vinha e brincava um pouquinho; as varias vezes que jogamos truco, a bagunça que ele sempre fazia, todas as vezes que ele tentava roubar, e nunca admitia que um de nós ganhou dele no seu jogo preferido.

Não vou transformar meu pai num herói, e esquecer o horror que foi viver com ele, mas esse é o primeiro ano em que não fiquei apavorada pensando no que dar de presente, sempre tentando agradá-lo, e ele sempre recebia com uma careta, esse ano não teve careta, não teve abraço, nem beijo, não teve aquela constrangedora demonstração de afeto ao dizer “Feliz dia dos Pais”. Esse ano não teve nada.

Trabalhei o domingo todo, com uma puta enxaqueca (que só foi diminuir dois dias depois), tentando ignorar que era dia dos pais, até ler aquele post e desmoronar.

Comecei a pensar em tudo o que poderia ter sido, em todos os abraços não dados, os beijos, as demonstrações de carinho. Todos os “eu te amo” que eu nunca disse, todos os “obrigado” que nunca poderei dizer.

Esses são apenas os primeiros dois meses, dos eternos anos – roubados – que não poderei dizer ou fazer nada disso. No fundo eu sempre tive a esperança de um dia concertar as coisas entre nós, quem sabe quando ele fosse bem velhinho, aposentado, ele parece para dar um pouco mais de atenção a família, talvez um belo dia nós dois sentássemos para conversar, uma conversa “da vida toda” e no final nos entendêssemos...

Mas não. Ele morreu aos 49 anos, com dor, sem a família por perto, comigo o odiando e desejando sua morte.
Sem nunca ter tido uma demonstração de carinho minha.

Hoje eu daria tudo pra ter 5 minutos com ele e poder dizer o quanto o amei em silencio, o quanto sinto sua falta, o quanto eu gostaria que as coisas tivessem sido diferentes entre nós.
Sinto muito não ter dito isso quando tive tempo...

Akira

"Sou felizz e não admito que ninguém me acorde." (Martha Medeiros)

“Na vida, apenas uma coisa é certa, além da morte e dos impostos. Não importa o quanto você tente, não importa se são boas suas intenções, você cometerá erros. Você irá machucar pessoas. E se machucar” (Meredith Grey - Grey's Anatomy)